terça-feira, 16 de setembro de 2008

Poeta

Em meio a batalhas homéricas,
Onde se inala o medo,
Cultiva-se o amor,
Num campo minado.

Em meio ao caos e a dor,
Banhado por lágrimas,
Semea-se a esperança,
Num sorriso amarelado.

Em meio a batalhas homéricas,
Inspira-se o caos e a dor,
E banhando pelo sangue,
Espira-se um amor entorpecente.

Em meio ao caos e a dor,
A figura dum poeta,
De lágrimas enxutas,
E um novo sorriso.

2 comentários:

Vanessa disse...

simplesmente... SEM COMENTARIOS!!
Ta mto show!!!

\o/

Camila Campos disse...

Pode plagiar a vontade! :)
Tu escreve bem e é uma honra ser plagiada assim!
:)

bjin